LEEA completa 10 anos e se consolida entre os mais importantes laboratórios de manejo ambiental do Brasil

O Laboratório de Ecotoxicologia e Eficácia dos Agrotóxicos integra a ampla estrutura de pesquisa científica do UNIFEB

No último dia 3 de dezembro o LEEA (Laboratório de Ecotoxicologia e Eficácia dos Agrotóxicos) do UNIFEB (Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos) completou 10 anos de atuação proporcionando suporte aos estudantes de graduação nas rotinas de aulas práticas dos cursos de agronomia, ciências biológicas e zootecnia.

O laboratório foi implantado pelo Prof. Dr. Claudinei da Cruz, hoje pró-Reitor Acadêmico do UNIFEB. “O LEEA é um laboratório de pesquisa, ensino e extensão especializado em projetos em áreas ambientais, com foco na avaliação de risco e ecotoxicidade de agrotóxicos, especialmente herbicidas. Além disso, o laboratório também atua na área de avaliação de eficácia de herbicida para controle de plantas aquáticas, áreas de conservação da natureza, ferrovias, áreas de reflorestamento, pastagens e cultivo de eucalipto”, explicou o professor.

A ideia de implantação do LEEA surgiu em 2011 com a necessidade de criar um espaço para as aulas práticas da disciplina de ecotoxicologia dos agrotóxicos e saúde ocupacional. “Inicialmente, o LEEA era apenas um laboratório didático ligado ao curso de agronomia do UNIFEB”, lembrou Claudinei.

Segundo o professor, após 10 anos, o LEEA está se consolidando como um dos grandes laboratórios do país especializado em manejo ambiental na área de plantas aquáticas, ecotoxicologia de herbicidas e manejo em áreas não agrícolas. “Alguns estudos desenvolvidos pelo laboratório trazem suporte para tomadas de decisão sobre o manejo correto de recursos hídricos, um tema de grande relevância econômica e social”, destacou.

Atualmente, os principais projetos em andamento no LEEA estão relacionados ao desenvolvimento de um herbicida para ser utilizado no controle de plantas aquáticas e estudos sobre controle e manejo de plantas daninhas no cultivo de eucalipto. “Nos trabalhos atuais de pesquisa, contamos com dois professores do UNIFEB [Prof. Claudinei da Cruz e Profa. Nathalia Garlich, quatro pós-graduandos e 11 alunos de graduação da instituição”, ressaltou.

De acordo com o professor Claudinei, entre os próximos objetivos do LEEA estão a melhoria da infraestrutura para pesquisa com o peixe zebrafish (modelo biológico muito utilizado atualmente) e o aumento no número de projetos em parcerias com outras instituições de ensino e empresas.

O Reitor do UNIFEB, Prof. Dr. Ângelo Davis, enaltece o trabalho desenvolvido pelo LEEA nessa última década e todos os avanços conquistados. “O LEEA contribuiu muito para o fortalecimento do UNIFEB no desenvolvimento de pesquisas científicas que impactam de forma assertiva o contexto econômico e social do país. Estaremos cada vez mais fomentando iniciativas como essa em nosso Centro Universitário”, finalizou.